Dúvidas Frequentes

/Dúvidas Frequentes
Dúvidas Frequentes 2018-06-28T14:37:22+00:00

DÚVIDAS FREQUENTES

O pós operatório de uma paciente que colocou silicone nos seios é relativamente simples comparado a outros procedimentos cirúrgicos. É recomendado evitar elevar os braços e dirigir por um período de duas a quatro semanas após a cirurgia. Porém, a paciente já pode realizar caminhadas leves nos primeiros dias, já que o exercício ajuda na circulação sanguínea e na recuperação.

A recuperação total geralmente acontece após três meses após a cirurgia de aumento de mama, e então, com autorização do médico cirurgião responsável, a paciente estará liberada para voltar à rotina normal.

Alguns tratamentos são indicados e podem auxiliar na recuperação: drenagem linfática e o uso de modeladores e meias anti-trombo podem ser recomendados pelo seu médico. Sempre pergunte quais são as melhores opções para você.

Na maioria das vezes não. O comportamento da amamentação no seio com silicone é similar aos casos não operados. Em teoria, existe um grau de atrofia do tecido mamário, porém não afeta significativamente a amamentação. Em inclusões pela via areolar, pode haver maior dificuldade. Sempre converse com um médico, pois essas questões variam de acordo com a paciente.

Cada paciente tem o seu tempo, o seu preparo, o seu momento, mas não existe uma idade mínima. Em pacientes jovens, é preciso uma avaliação mais cuidadosa quanto ao desenvolvimento completo das mamas, geralmente realizada por endocrinologista, além da autorização dos pais em caso de meninas menores de 18 anos. Nestes casos, é sempre recomendado descobrir os motivos do desejo pela cirurgia, e fazer um acompanhamento com o cirurgião, pais, psicólogo e endocrinologista.

Se a intenção da paciente é engravidar logo, e ela ainda não tem os implantes de silicone, é mais prudente aguardar a gestação para depois realizar a cirurgia. É importante frisar que a gestação, com ou sem a prótese, pode trazer alterações constitucionais para mama, como flacidez da pele e (queda) do seio.  Antes de realizar qualquer procedimento cirúrgico, é indicado avaliar seus planos para o futuro, e como eles podem interferir na cirurgia.

DÚVIDAS FREQUENTES

Como é um procedimento que necessita de retirada de volumes variáveis de glândula mamária e pele, a resultante é invariavelmente uma cicatriz em T invertido.

A única recomendação de idade é que a paciente já tenha atingido maturidade puberal, ou seja, que não haja mais alterações mamárias em decorrência da puberdade. Quando há dúvida em pacientes jovens, elas devem ser avaliadas por um endocrinologista. Nestes casos, é sempre importante ter acompanhamentos dos pais, especialmente se a menina for menor de 18 anos.

Devido à extensão da cicatriz e a grande manipulação de tecido mamário, existem áreas de maior vulnerabilidade para a cicatrização, que acaba ocorrendo mais lentamente, e pode variar de acordo com a pele de cada paciente.

É de extrema importância evitar esforço físico e traumas. As caminhadas leves são incentivadas para auxiliar na circulação sanguínea.

A drenagem linfática tem papel importante na recuperação destas pacientes. É indicado também fazer o uso de modeladores e meias anti-trombo. Pergunte ao seu médico quais são as melhores opções para o seu caso.

É conflitante a ideia de fazer uma mamoplastia redutora e ao mesmo tempo promover um aumento mamário com inclusão de prótese, e o procedimento é comumente desencorajado.

É possível. Seja por estímulo hormonal, gestação ou por ganho ponderal, sempre existe a chance da mama voltar crescer.  Por isso, é importante ter acompanhamento médico antes e depois do procedimento.

DÚVIDAS FREQUENTES

A lipoescultura envolve o enxerto de gordura em áreas estratégicas, como por exemplo na região glútea. Você retira gordura de áreas com sobras, como a barriga, e inclui em áreas que faltam. Na prática, ambos os procedimentos andam juntos.

A lipo é uma das poucas cirurgias que não necessitam de atenção especial quanto ao esforço físico, já que o próprio paciente vai ditando a evolução do esforço conforme vai se recuperando.

Em contrapartida, é a cirurgia mais dependente de um pós operatório adequado. Existem inúmeros recursos estéticos/dermofuncionais que devem ser lançados com o objetivo de evitar fibrose e áreas de retração. Este cuidado deve ser feito de forma preventiva, pois uma vez estabelecida, as retrações são de difícil resolução.

Procedimentos como drenagem linfática e o uso de meias anti-trombo e modeladores são indicados.

DÚVIDAS FREQUENTES

Pode ser realizada antes da gestação, porém, sempre que possível, preferimos realizar o tratamento após a gravidez, por questões de eficácia do procedimento. É uma questão de avaliar individualmente os prós e os contras, e realizar uma avaliação médica detalhada.

Há uma mudança, mesmo que pouco perceptível, no padrão do crescimento da barriga gestacional, devido a maior resistência na região mediana. Na maioria das vezes, há perda da qualidade do resultado após gestação, já que a pele tem uma tendência a ficar mais flácida depois do nascimento dos filhos.

Pode haver alteração no padrão do crescimento do abdome gravídico. Porém, na maioria das vezes, não reflete em alterações na gestação. Nestes casos, é importante que a paciente conte com acompanhamento médico especializado.

Abdominoplastia convencional / lipoabdominoplastia – no tipo mais comum, é necessário a confecção de novo umbigo;

Abdominoplastia não convencional (miniabdominoplastia) – esse procedimento tem indicação restrita à pacientes com pequeno volume em abdômen inferior e umbigo posicionado em situação alta, já que o mesmo é seccionado por dentro e rebaixado;

Abdominoplastia em âncora – indicada para paciente que sofreram grandes perdas de peso. Nesses casos, são tratadas duas vertentes: vertical e horizontal. O principal ônus desse tipo de abdominoplastia, é a cicatriz vertical;

BELT – abdominoplastia circunferencial – também mais comum para pacientes após grandes perdas de peso, e que sofrem de lipodistrofia (falta de gordura), importante em toda a região da cintura.

Essa cirurgia conta com um pós operatório que exige cautela quando ao esforço físico. Nos primeiros dias, a paciente é incentivada a andar arqueada para frente e dormir com apoio nas costas e embaixo dos joelhos. Deve-se prestar atenção especial de higiene e curativos à cicatriz, que tende a ser extensa.

Drenagem linfática, uso de meias anti-trombo e modeladores podem ser indicados pelo seu médico.

DÚVIDAS FREQUENTES

Desde que apresentem condições clínicas satisfatórias, não há uma contraindicação quanto a idade. Como envolve uma cicatriz relativamente extensa, a indicação mais clássica é para pacientes com grande perda de peso e grandes excessos de pele. Em casos com flacidez pequena, devido a cicatriz, nem sempre incentivamos.

Existem muitas variações e formatos de cicatrizes para o procedimento, conforme a indicação clínicas. Em linhas gerais, tentamos deixar em posição médio posterior (tentando esconder a cicatriz quando os braços estão fechados).

Pelo gato da área operada ser úmida e ter uma pele extremamente delgada (fina), deve-se ter especial cuidado quando a realização da higiene, curativos e utilização dos modelares. É importante evitar esforço físico e movimentos amplos dos braços. Seu médico também pode indicar a realização de drenagens linfáticas e uso de meias anti-trombo e modeladores.

DÚVIDAS FREQUENTES

A gluteoplastia é realizada com a utilização de uma prótese de silicone, e é um procedimento cirúrgico reconhecido e já consagrado entre os cirurgiões plásticos.

Já a bioplastia é desencorajada por nossa equipe. Na maioria das vezes, é realizada com uma substância chamada PMMA, a qual existem riscos de complicações como formação de granulomas, reações imunológicas exacerbadas e reações infecciosas. Estas reações são veiculadas com frequência na mídia.

Procure sempre realizar procedimentos seguros e que já tenham confirmações clínicas de segurança.

O pós operatório da gluteoplastia exige cuidados especial com o esforço físico, já que algumas limitações ao sentar e ao deitar trazem desconforto ao paciente.

A principal preocupação é quanto a cicatrização, tendo em vista que a proximidade da cicatriz com a região perineal, a umidade do local e a tração podem ocasionar deiscências, infecção, seromas (acúmulo de líquido). Na maioria das vezes, essas questões são localizadas e facilmente tratadas.

É provável que seu médico indique a realização de drenagens linfáticas, uso de meias anti-trombo e modeladores.

A cicatriz fica posicionada na região interglútea (entre os glúteos) e geralmente não é visível na posição ortostática (em pé).

PERGUNTAS FREQUENTES

A rinoplastia é a plástica do nariz com fins estéticos. A septoplastia é um tratamento para a estrutura do septo, dentro do nariz, comumente desviada, com efeito sobre a parte funcional (respiratória) por obstruções parciais ou totais. A associação é muito comum e até mesmo incentivada e o procedimento passa a se chamar Rinosseptoplastia.

O que mais preocupa os pacientes são as equimoses (roxos) ao redor dos olhos, mas essas manchas tendem a desaparecer entre 10 e 20 dias após a cirurgia.

A primeira semana é a mais complicada. O paciente utiliza um dispositivo externo (gesso ou aquaplast) e um dispositivo interno (splint ou tampão). O splint promove maior conforto e é mais utilizado, pois permite que o paciente respire pelas narinas. Mesmo com este dispositivo, há uma tendência à obstruções na fase inicial da recuperação.

É necessário atenção especial principalmente no primeiro mês em relação a traumas e esforço intenso que podem predispor sangramentos e perda de resultado.

Pode ser que seu médico também indique a realização de drenagens linfáticas e a utilização de meias anti-trombo.

Em casos de alterações funcionais, o plano de saúde cobre parte da cirurgia. Em contrapartida, nenhuma etapa da parte estética é coberta por plano, mesmo quando realizados ao mesmo tempo. Para casos no qual o plano de saúde cobre, é necessário abrir uma solicitação após a avaliação médico, no qual o cirurgião irá comprovar a necessidade da cirurgia para melhora da saúde.

Não existe uma idade cronológica mínima, porém é necessário que o paciente tenha atingido maturidade óssea e puberal, que devem ser avaliados por endocrinologista. Nestes casos, é importante ter acompanhamento dos pais, principalmente se o paciente ainda for menor de idade.

As principais queixas estéticas que levam o paciente a procurar a bioplastia são relacionadas à giba óssea (dorso do nariz) e à ponta bulbosa (arredondada). Quanto à ponta, é comum também solicitar que fique mais empinada, em casos que se encontra caída. Outras queixas comuns são em relação as laterorrinias (desvios laterais) e também às alares (asa do nariz). São inúmeras as possibilidades de tratamento. Converse com seu médico sobre seus desejos e possibilidades.

DÚVIDAS FREQUENTES

A principal queixa dos pacientes é a dor/desconforto, e acaba sendo mais intensa em adultos, devido a uma maior maturidade e rigidez das cartilagens da orelha.

As orelhas operadas devem permanecer protegidas contra traumas externos por uma faixa específica por um período de aproximadamente 1 mês.

Os exercícios leves como caminhadas são incentivados logo nos primeiros dias após o tratamento. Exercícios de moderada intensidade, somente após 1-2 meses.

Não existe uma idade mínima, porém, quando se trata de crianças, incentivamos que o procedimento seja realizado na época de transição entre a idade pré-escolar e escolar, quando há incidência maior de Bullying, e quando a criança já tem um entendimento melhor sobre a recuperação.

DÚVIDAS FREQUENTES

O tempo de recuperação varia de acordo com o paciente, principalmente se este for mais jovem ou mais velho. Durante os 15 dias após a cirurgia, é recomendado que se fique em repouso, evitando movimento bruscos com as pernas.

Dirigir está proibido por no mínimo 30 dias, e a volta a rotina normal geralmente acontece depois de um mês da realização do procedimento.

É importante seguir as recomendações médicas, fazer o uso de modeladores e meias anti-trombo e drenagens por pelo menos dois meses após a cirurgia. O resultado final da cirurgia começa a aparecer entre seis meses e um ano após o procedimento.

A cicatriz é interna, localizada na parte de dentro da coxa. O tamanho pode variar de acordo com a quantidade de pele e gordura que precisa ser retirado, podendo atingir até a dobra da virilha em casos mais extremos.

DÚVIDAS FREQUENTES

Colocar próteses na panturrilha não é uma cirurgia de extrema complexidade. O paciente pode sentir dores nas 48 primeiras horas após o procedimento, e é recomendado que se evite subir escadas nas primeiras semanas. Exercícios físicos moderados podem ser iniciados após 30 dias.

Também é recomendado que se faça o uso de meias elásticas no primeiro mês após o procedimento.

O resultado definitivo começa a aparecer depois de dois meses da cirurgia.

DÚVIDAS FREQUENTES

A cicatriz fica escondida pelo cabelo do paciente, e também, pela orelha, já que atinge a parte de trás do rosto. Assim, não é visível para outras pessoas.

O pós operatório da cirurgia facial exige certo cuidado, já que uma área sensível e que fica muito exposta ao ambiente. Os pontos normalmente são retirados completamente após 15 dias do procedimento, e os cabelos podem ser lavados, com cuidado, depois de uma semana.

É comum que o paciente apresente inchaço e hematomas nas primeiras semanas, mas essa situação tende a normalizar ainda no primeiro mês, dependendo de cada paciente. A maquiagem pode ser usada após 10 dias do procedimento.

Tinturas e químicas devem ser evitadas no primeiro mês de recuperação, já que a área de corte também atinge o couro cabeludo.

Sol e vento intenso devem ser evitados por até três meses depois da cirurgia, e é recomendado o uso de óculos escuros e lenço para proteger as áreas afetadas pela cirurgia.

O resultado só começa a aparecer depois de três meses, e a situação é estabilizada após seis meses de recuperação.

Não é possível prever quanto tempo o resultado vai durar, afinal, existem diferentes tipos de pele, cicatrização, sem levar em conta a idade do paciente.

O procedimento não retarda e nem interrompe o envelhecimento natural. O que acontece é que, depois do lifting, o paciente passará a envelhecer a partir de um aspecto mais jovem do que o anterior.

DÚVIDAS FREQUENTES

A cicatriz fica escondida na pálpebra, e, como a pele dessa região é muito fina, fica praticamente disfarçada pelos sulcos da pele. A maquiagem também é muito utilizada para disfarçar alguma imperfeição decorrente da má cicatrização.

Não, a blefaroplastia corrige a pálpebra e as bolsas em volta dos olhos, mas não tem nenhum efeito que estique a pele e diminua as rugas na região.

Normalmente o paciente recebe alta no mesmo dia em que o procedimento foi realizado. É comum o inchaço na região e o aparecimento de manchas roxas, mas a situação tende a normalizar já na primeira semana de recuperação.

Após a blefaroplastia, é recomendado que o paciente durma com a cabeça para cima, levemente elevada, e nunca de lado. A exposição ao sol é proibida nos primeiros 60 dias após o procedimento.

O resultado final aparece depois de mais ou menos um ano da cirurgia.

DÚVIDAS FREQUENTES

Nas primeiras 48 horas após o procedimento, o paciente fica com a cabeça envolta numa faixa compressora e um pequeno dreno. Inchaços e equimoses (manchas roxas) são comuns nos primeiros 10 dias após a cirurgia, mas tendem a desaparecer com o tempo de recuperação.

Normalmente, as atividades normais podem ser retomadas após uma semana, as vezes, fazendo o uso de óculos escuros para proteger os olhos.  Exercícios leves podem ser iniciados depois de oito dias.